Translate

terça-feira, 11 de junho de 2013

Gênero não é sinônimo de mulher

Gênero não é sinônimo de mulher e tão pouco se reduz as relações entre homens e mulheres. Gênero é a  relação de poder orquestrada a partir da definição de padrões de sexualidade ou representações de gênero (masculino e feminino) que situa homem-mulher, mulher-mulher ou homem-homem em posições desiguais em uma determinada relação, seja conjugal, profissional ou política, distribuindo desigualmente a autoridade, o poder ou o prestígio entre as pessoas de acordo com  a identidade assumida. 

Sendo uma construção social, se observa que em nossa sociedade o feminino e o masculino são considerados opostos e também complementares mas sobretudo possuidores de valores diferentes. Mesmo considerando que ao longo da história esta construção sofreu variações durantes determinados período e regiões observa-se a predominância da maior valorização das representações masculinas e a maior opressão das representações femininas.

O estabelecimento das funções do feminino e masculino por meio de uma relação desigual e sobretudo a luta pela superação desta relação de opressão, construiu a história mundial uma vez que impactou na forma das sociedades se organizarem tanto social, cultural e economicamente. Neste ponto, é evidente e necessário o reconhecimento de são as mulheres os sujeitos cuja trajetória histórica foi negligenciada e cuja discriminação/opressão perdurou, ou, ainda perdura, mais tempo legitimada. Agravando-se mais ainda quando somadas as desigualdades de raça, classe, geracional, restringindo ainda mais as oportunidades desenvolvimento e o caminho para liberdade.

É necessário destacar que uma leitura atenta à categoria gênero revelou uma multiplicidade de formulações ancoradas em diversas abordagens teóricas, ora marxistas, weberiana, foucaultianas  uma vez que a análise do poder e dos fatores que situam homens e mulheres em posições desiguais, variam em determinadas leituras.

Entretanto, ainda que crendo na grande relevância do aprofundamento destas formulações para uma maior compreensão do tema, por ora gostaria de destacar que a desigualdade de gênero, ou melhor, a questão de gênero, não é só determinada pelo contexto social, cultural, político e econômico mas sobretudo determinante para que a sociedade se fundamentasse tal como o conhecemos.

Posteriormente, em outro artigo, buscarei ampliar essas noções básicas a fim de aprofundar o tema e chegar a sua interlocução com o Tráfico de Pessoas.